A editora

Minha foto
Nasci no Recife, capital de Pernambuco, um dos 26 Estados do Brasil. Sou jornalista diplomada, amante da vida e de tudo que é positivo, verdadeiro e autêntico. Deixei as águas do Capibaribe, o mais famoso rio que banha o Recife. Atravessei o Oceano Atlântico e desaguei no rio Tejo, que acalenta Lisboa. E para aproximar esses dois lugares tão distantes mas com fortes ligações históricas e culturais, dei início a construção desta "ponte" Pernambuco-Portugal.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Lançamento do livro Teia de cordeis


LIVRO REGISTRA EXPOSIÇÃO DE CORDÉIS PORTUGUESES E BRASILEIROS
 
Editado por Maria Alice Amorim, acaba de ser publicado o livro-catálogo Teia de Cordéis que registra a exposição homônima, realizada no Museu de Arte Popular do Recife (MAP), entre março de 2011 e maio de 2012, desdobrada em duas expografias: Cordéis Portugueses/Coleção Arnaldo Saraiva e Cordéis Brasileiros/Coleção Maria Alice Amorim, sob a curadoria de ambos os colecionadores no tocante à exibição dos portugueses e somente sob a de Maria Alice Amorim quanto aos brasileiros. O livro conta com textos dos dois pesquisadores e colecionadores que cederam o acervo para a exposição. A publicação do catálogo é relevante por inventariar uma rara e pioneira mostra de mais de quinhentos exemplares de literatura de cordel de Portugal e do Brasil.

Contendo belas reproduções de capas de folhetos portugueses e brasileiros, o catálogo trata, pois, do registro dessa atividade museológica que, na primeira parte, se caracterizou por ter sido pioneira, em território nacional, quanto ao expressivo volume de literatura de cordel portuguesa aqui jamais antes exibido numa mesma ocasião e espaço, abarcando raras edições do período histórico em que foi prolífica a produção editorial de cordéis lusos: os séculos XVII, XVIII, XIX e XX, e mostrando inclusive um cordel português de 1602, então o mais antigo da coleção de Arnaldo Saraiva.

O livro deixa, ainda, registrado o conjunto dos folhetos brasileiros que foram exibidos na sequência à exposição portuguesa, e que abarcavam tanto a produção contemporânea de cordel, quanto a produção histórica de vigorosa expressão da cultura brasileira, de modo evidente relacionada a poéticas tradicionais procedentes da cultura portuguesa.

HISTÓRIA - Pelo que está registrado no catálogo, em referência aos dois momentos da exposição, percebe-se claramente, não apenas um repertório nordestino e nacional, construído por autores do Brasil, como também a presença de temas tradicionais que já circulavam entre as recorrências da narrativa popular portuguesa medieval, a exemplo do que Luís da Câmara Cascudo registra em Cinco Livros do Povo, ou seja, as narrativas referentes à Donzela Teodora, Princesa Magalona e Imperatriz Porcina, a Roberto do Diabo e João de Calais, todas elas contempladas nas vitrines do MAP, em variadas edições, de distintos séculos, quer portuguesas, quer brasileiras. Foram exibidos, ainda, folhetos que tratavam do heróico, do satírico, do religioso, das histórias de trancoso, contos pastoris, novelas de cavalaria, persistências temáticas que compõem significativa parcela de riquíssimo patrimônio cultural brasileiro.
 
Serviço: 
Lançamento do livro Teia de Cordeis

Quarta-feira, 24 de setembro às 19h

Gabinete Português de Leitura - Pernambuco
Rua Imperador Dom Pedro II, 290, Santo Antônio, 50010-240 - Recife

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

António Zambujo - A Deusa da Minha Rua



Um clássico da música brasileira com sotaque lusitano.
Boa noite e bom fim de semana!

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Instituto Ricardo Brennand é um dos melhores museus do mundo


Instituto Ricardo Brennand

O museu brasileiro Ricardo Brennand foi reconhecido como o melhor da América do Sul e um dos melhores do mundo, à frente de locais mundialmente famosos como o Louvre (França) e o Rijksmuseum Museum (Holanda). A eleição foi feita pelo site Trip Advisor, que reúne avaliações de destinos, restaurantes e demais serviços associados ao turismo. Foram destacadas as 25 galerias mais votadas por 280 milhões de usuários. O museu pernambucano aparece na 17ª posição e o Instituto Inhotim (MG), na 23ª colocação.

Criado há apenas 12 anos, o museu Ricardo Brennand recebe cerca de dois milhões de visitantes por ano. Entre suas exposições permanentes estão "Frans Post e o Brasil Holandês", primeiro pintor da paisagem brasileira, a coleção "Paisagens Brasileiras do Século XIX", com telas de artistas como Calixto, Rugendas, Debret, Castagneto e Fachinneti, além da coleção de vidros Janete Costa e Acácio Borsoi e do museu de cera que retrata o julgamento de Nicolau Fouquet, ministro das finanças do Rei Luís XIV. Em cartaz ainda até 2 de novembro está a exposição temporária "Eliseu Visconti - A Modernidade Antecipada", um dos artistas pioneiros do impressionismo brasileiro e do design no país. 
Serviço:
Instituto Ricardo Brennand
Alameda Antônio Brennand
São João - Várzea
CEP. 50.791-904
Recife-Pernambuco-Brasil
E-mail: irb@institutoricardobrennand.org.br
Horário: terça a domingo, das 13h às 17h. Abriremos o Instituto RB para grupos agendados nas quarta-feira de manhã.
Entrada:
R$ 20,00 (Inteiro).
R$ 10,00 (Pessoas com deficiência, estudantes, professores e idosos acima de 60 anos mediante documentação comprobatória).
R$ 7,00 Grupos escolares agendados. Acesso Gratuito Crianças até 07 anos; Escolas públicas agendadas; Guias de turismo e taxistas (mediante documento profissional atualizado); Membros do Conselho Internacional de Museus – Icom (mediante documentação comprobatória)
Obs.: Na última terça-feira de cada mês é gratuito para todos.
Telefones: [81] 2121.0352/0365

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Portugal presente na Janela Internacional de Cinema do Recife



O 7º Janela Internacional de Cinema do Recife anuncia sua seleção de curtas-metragens. Este ano 1005 trabalhos de 33 países foram submetidos a processo seletivo, um recorde do festival. Destes, foram selecionadas 42 obras de doze países, sendo 22 curtas brasileiros e 20 estrangeiros, sendo cinco de Portugal.

Participaram da seleção de curtas os jornalistas e pesquisadores Rodrigo Almeida e Luís Fernando Moura, o roteirista Luiz Otávio Pereira, o cineasta Leonardo Lacca,a produtora Emilie Lesclaux, o ator Fábio Leal e o sócio da Cinemascópio Produções, Winston Araújo.

Este ano, o Janela será realizado entre 24 de outubro e 2 de novembro, no Cinema São Luiz e Cinema da Fundação. A previsão é que 150 filmes serão exibidos, em mostras competitivas de curtas e longas, sessões de grandes clássicos do cinema e mostras não competitivas.

Lista dos selecionados:
Mostra Nacional
- A Era de Ouro (Ceará), de Leonardo Mouramateus
- Dia Branco (São Paulo), de Thiago Ricarte
- Estátua! (São Paulo), de Gabriela Amaral Almeida
- Gigante (Rio de Janeiro), de Rafael Spínola
- História Natural (Pernambuco), de Júlio Cavani
- João Heleno dos Brito (Pernambuco), de Neco Tabosa
- Kyoto (São Paulo), de Deborah Viegas
- La Llamada (São Paulo), de Gustavo Vinagre
- Loja de Répteis (Pernambuco), de Pedro Severien
- Malha (Paraíba), de Paulo Roberto
- Noites traiçoeiras (Pernambuco), de João Lucas Melo Medeiros
- Nua por dentro do couro (Maranhão), de Lucas Sá
- O Arquipélago (Rio de Janeiro), de Gustavo Beck
- O Bom Comportamento (Rio de Janeiro), de Eva Randolph
- Ocaso (Rio de Janeiro), de Bruno Roger
- O Clube (Rio de Janeiro), de Allan Ribeiro
- Quinze (Minas Gerais), de Maurilio Martins
- Sandra Espera (Minas Gerais), de Leonardo Amaral
- Si no se puede bailar, esta no es mi revolución (São Paulo / Cuba), de Lillah Halla
- Tejo Mar (Rio de Janeiro), de Bernard Lessa
- Vailamideus (Ceará), de Ticiana Augusto Lima
- Verona (São Paulo), de Marcelo Caetano

Mostra Internacional

- A Caça Revoluções/ The Revolution Hunter (Portugal), de Margarida Rego
- Abandoned Goods (Inglaterra), de Ed Lawrenson
- An Der Tur / At the Door (Alemanha), de Miriam Bliese
- Cambodia 2099 (França), de Davy Chou
- En Août/ In August (Suíça), de Jenna Hassej
- La Reina/ The Queen (Argentina), de Manuel Abramovich
- Me Tube (Áustria), de Daniel Moshel
- Nevermind (Canadá), de Jean-Marc E. Roy
- Oh Lucy (Japão), de Atsuko Hirayagi
- Person to Person (Estados Unidos), de Dustin Guy
- Ponto Morto/ Idle Road (Portugal), de Pedro Peralta
- Redemption (Portugal), de Miguel Gomes
- Rio-me porque és da aldeia e vieste de burro ao baile (Portugal), de Stealing Orchestra & Rafael Dionísio
- Tant qu’il nous reste des fusils à pompe/ As long as shotguns remain (França), de Caroline Poggi e Jonathan Vinel
- The Chicken (Alemanha), de Una Gunjak
- The Dark, Krystle (Estamos Unidos), de Michael Robinson
- Tornistan/ Backward Run (Turquia), de Ayce Kartal
- Triangulo Dourado/The Golden Triangle (Portugal), de Miguel Clara Vasconcelos
- Washingtonia (Grécia), de Konstantina Kotzamani
- Wind (Alemanha), de Robert Löbel

O 7º Janela Internacional de Cinema do Recife é organizado pela CinemaScópio Produções Cinematográficas e Artísticas, tem patrocínio da Petrobras e incentivo do Funcultura / Fundarpe, Secretaria de Cultura do Governo do Estado de Pernambuco.

Fonte: http://www.janeladecinema.com.br/

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Lisboa é incomparável

Descobri hoje o blog Fui e vou voltar do "viajante" Alessandro Paiva. As dicas e fotografias de Lisboa são maravilhosas. Quem pretende visitar Portugal não pode deixar de conferir o roteiro de Alessandro. Há dicas também  para Coimbra e Sintra. O começo do seu texto sobre Portugal resume a experiência da viagem:

"Foram muitas idas e vindas à Europa, mas demorou até que eu conhecesse Lisboa. Embora a maioria dos voos em que embarquei com destino ao Velho Continente fizesse escala no aeroporto da capital portuguesa, somente neste ano decidi conhecê-la. Saí de lá encantado!"
Alessandro Paiva no Elevador de Santa Justa, Lisboa 



segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Alceu Valença vai lançar livro


Crédito: Paulo Paiva/DP/D.A Press
Crédito: Paulo Paiva/DP/D.A Press


Depois de estrear como cineasta, à frente do filme A luneta do tempo, o pernambucano Alceu Valença se prepara para novo projeto, de acordo com informações do jornal O Globo. Ele fechou contrato com a editora portuguesa Chiado em agosto deste ano. Com título provisório de O poeta da madrugada, o livro será lançado primeiro em Portugal, em janeiro de 2015. O trabalho, que ainda não tem previsão de lançamento no Brasil, vai reunir versos que Alceu escreveu no sertão e no Recife, incluindo poemas dedicados às cidades e algumas letras de músicas.

Do blog João Alberto/DP

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Cerveja Sagres chegou ao Brasil


 
Sagres Clássica: produzida localmente vai posicionar-se no segmento premium em formato de 600 ml.


A Heineken Brasil já começou a produção da  cerveja Sagres e as primeiras garrafas  estão a  venda no Rio de Janeiro.
Em comunicado, a Sociedade Central de Cervejas (SCC), 100% detida pela multinacional holandesa, informou que a Sagres foi adaptada para agradar ao gosto local, mais adepto de bebidas “de amargor mais sutil” e será comercializada com o nome de Sagres Clássica.
No Brasil, a marca portuguesa produzida localmente vai posicionar-se no segmento premium em formato de 600 ml.